NOVIDADES

Alexandre Caldi e Quarteto Metacústico lançam Buarqueanas

Álbum chega às plataformas de música dia 16 de junho, três dias antes do aniversário de Chico Buarque, homenageado no projeto

 

 

“Caldi nos mostra, mais uma vez, como é saudável e instigante atravessar fronteiras musicais, cruzando a linha que separa a canção popular da música de câmara, e descobrir novos e insuspeitos universos musicais.”  Tim Rescala

 

“Um trabalho extremamente bem cuidado que conta através da musica do Chico a história de Alexandre Caldi. Com certeza você nunca ouviu Chico assim, com sax e cordas, muita elegância e sofisticação”. Leo Gandelman

 

"Buarqueanas nasce da admiração de Alexandre Caldi pelo aspecto musical da obra de Chico. E que riqueza de melodias, harmonias, gêneros e formas nos dá a fonte buarqueana! Alexandre Caldi as trata com esmero, brilhando como arranjador de escrita elegante e vigorosa para cordas, e como instrumentista em plena maturidade.” Bia Paes Leme

 

“Quando pensei que já não me surpreenderia com seu total e amplo domínio da escrita orquestral, eis que encontro um artista se superando. A delicadeza de “A mais bonita”, a ousadia harmônica de “Palavra de mulher”, unida ao virtuosismo de “Tanto amar”, resumem o tom maior dessa obra que escolheu como veículo Chico Buarque, em tempos em que sua música é tão necessária quanto o ar que respiramos.” Carlos Prazeres

 

No próximo dia 16 de junho, três dias antes do aniversário de Chico Buarque (19 de junho), o saxofonista e flautista Alexandre Caldi lança nas plataformas de música o álbum Buarqueanas. O novo trabalho será editado pela gravadora Biscoito Fino, a mesma do ilustre homenageado. Alexandre Caldi debruçou-se na obra do compositor carioca para criar arranjos originais, nos quais os sopros são acompanhados pela clássica formação de quarteto de cordas, a cargo do jovem Quarteto Metacústico, formado por Thiago Teixeira e Luísa Castro (substituindo Maressa Carneiro) nos violinos, Diego Silva na viola e Daniel Silva no violoncelo. Em Buarqueanas as cordas do Quarteto Metacústico brilham tanto quanto os sopros de Caldi.

 

Buarqueanas é explicitamente uma alusão ao termo Bachianas, cunhado por Heitor Villa-Lobos para a série de obras que fez em homenagem ao compositor alemão Johann Sebastian Bach. Em sua homenagem a Chico, Caldi não se furta a utilizar referências da música de concerto. Requisitado como arranjador por algumas das mais importantes orquestras dos país, o músico tem trazido para os seus trabalhos o aprendizado adquirido nessas experiências.

 

"Nunca me conformei com a ideia, divulgada por curiosos e às vezes até por músicos profissionais, de que Chico Buarque seria melhor letrista do que músico. Apesar de sua indiscutível habilidade com as palavras, provada nas parcerias com Tom, Edu, Francis e tantos outros, e que se estende à literatura, sempre reconheci, nas canções em que Chico é o único autor, um refinamento peculiar na arquitetura de suas melodias e harmonias”, pontua Alexandre Caldi. “O grande desafio ao criar arranjos para tantas melodias incríveis, foi mostrar que elas prescindem das letras para atrair o ouvinte. Então busquei um ambiente de concerto, acompanhado por um quarteto de cordas, o que me ampliou os horizontes para tratar dessas músicas com a riqueza que elas merecem”, conclui.

 

A bela capa de Buarqueanas é de Marina Lutfi, sobre um quadro de seu pai Sérgio Ricardo, músico, compositor, ator e diretor de cinema falecido em julho do ano passado. Sérgio e Chico eram grandes amigos.

 

No álbum de onze faixas, Alexandre Caldi se reveza entre a flauta e os saxofones tenor, alto e soprano, em arranjos ousados e impactantes. Uma experiência auditiva especial de canções de Chico Buarque, como “Joana Francesa”, “Tanto Amar” e “Noite dos mascarados”, entre outras.

 

REPERTÓRIO:

ROSA DOS VENTOS

FANTASIA

NOITE DOS MASCARADOS

A MAIS BONITA / SE EU SOUBESSE

TANTO AMAR

COTIDIANO

A OSTRA E O VENTO

O MEU AMOR

JOANA FRANCESA

 

LOLA

PALAVRA DE MULHER