BIOGRAFIA

Compositor, arranjador e instrumentista, Alexandre Caldi é um dos poucos representantes do sopro brasileiro a incorporar influências latinas em sua obra de forma requintada e expressiva. Toca os saxofones soprano, alto, tenor e barítono, além da flauta, flautim e pífanos.

Em 2021 está lançando pelo selo Biscoito Fino o álbum “Buarqueanas”, em que toca a obra de Chico Buarque acompanhado pelo Quarteto Metacústico. Pelo mesmo selo lançou em 2019 o álbum "Afro+Sambas" em duo com o pianista Itamar Assiere, reinterpretando músicas de Baden Powell e Vinicius de Moraes.

 

Tem dois outros CDs solo, “Festeiro”, de 2008, e  “Mestiçaria”, de 2016, ambos autorais.

 

Faz parte, ao lado do irmão Marcelo e da mãe, a pianista Estela Caldi,

do Grupo LiberTango, dedicado às várias vertentes do tango, do tradicional ao contemporâneo, com cinco discos lançados.

É um dos músicos mais requisitados do Rio de Janeiro, tendo dividido o palco com dezenas de artistas ao longo da carreira, como Gilberto Gil, Maria Bethânia, Hamilton de Holanda, Francis Hime, Bibi Ferreira, Yamandu Costa, Moraes Moreira, Elza Soares, Teresa Cristina, Dona Ivone Lara, Geraldo Azevedo, Sérgio Ricardo, Bossacucanova, uma vasta experiência que contribuiu para o desenvolvimento de seu trabalho autoral.

 

Paralelamente desenvolve carreira da arranjador com ênfase em formações sinfônicas. Realizou trabalhos para a Orquestra Petrobras Sinfônica (RJ),  a Orquestra Sinfônica da Bahia, a Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina (PR), a Orquestra Johann Sebastian Rio (RJ), a Nova Orquestra (RJ), a Orquestra de Sopros da ProArte (RJ) e grupos de câmara como o Quarteto Atlas (RJ) e o Trio Capitu (RJ), além de diversos artistas e grupos da nossa música popular.